Céu Listrado

Aviões cruzam o celeste céu

E a menina os observa surpresa

Como se despisse do mundo seu véu

E o visse pela primeira vez

 

Aviões deixam rastros branco-pérola

Além de onde se pode tocar

Criando linhas imaginárias

Que um dia irão se apagar

 

Aviões são estrelas cadentes

Que se recusam a cair

Do céu não claro, mas escuro

É o que diz a menina ao sair

 

Aviões que realizam desejos

Ou meras máquinas cruzando o mundo

Tudo depende de como vemos a vida

Se somos rasos ou profundos

 

Aviões somem no azul

E o mundo volta a ficar parado

Mas a menina nunca se esquecerá

Daquele céu listrado

 

Para Ana Luisa, a menina do céu listrado

Anúncios